Startups Brasileiras

Startups Brasileiras e o desafio que ninguém comenta a respeito

O número de startups brasileiras não para de crescer. De acordo com uma reportagem da Agência Brasil, em 2012 haviam 2.519 startups cadastradas na Associação Brasileira de Startups, em 2017 o número saltou para 5.147 e hoje o órgão estima que este número está entre 10 e 15 mil. Embora este crescimento seja reflexo direto do desenvolvimento tecnológico, a busca pela inovação não se resume somente a este fator e requer a superação de desafios que envolvem o fator humano. Pois, de nada adianta ter acesso às melhores tecnologias se não há mentes capazes de pensar nas soluções mais eficientes, não é mesmo?

Para mim, uma das melhores frases que ilustra essa necessidade de pessoas na era digital foi dita por  Bob Wollheim, Chief Strategy Officer da CI&T em entrevista concedida para o portal Uol: “Transformação digital não é sobre tecnologia, é sobre pessoas. Transformar coisa é bem mais simples do que transformar gente.” Muitas startups brasileiras e até de outros países também focam muito na questão da tecnologia, mas esquecem que as pessoas têm um papel fundamental para alcançar o sucesso em qualquer negócio. 

A inovação das startups brasileiras

A inovação que as startups brasileiras querem conferir ao serviço e/ou produto final também tem que estar dentro da empresa e permear o mindset das pessoas que lá trabalham. Inovar é uma cultura que demanda a construção de valores e tomada de atitudes. Por isso, a transformação de pessoas é fundamental. Elas são o maior bem de qualquer empresa. 


Os desafios enfrentados pelas startups brasileiras quando o assunto é transformação de pessoas começa no recrutamento. A busca por profissionais qualificados deve ser feita de modo atencioso para conseguir encontrar pessoas com espírito inovador, algo que faz parte da essência de qualquer startup. Além disso, é primordial manter os profissionais motivados e em um constante processo de aprendizado dentro da empresa para que eles consigam pensar novidades. 

Um outro ponto importante é ter um processo de inovação estruturado. As startups brasileiras que desejam se destacar no mercado precisam ter estratégias e processos bem definidos a fim de que os colaboradores tenham clareza sobre os propósitos da empresa. Deste modo, é possível gerar engajamento.

A criação de um ambiente interno que estimule a criatividade também é imprescindível. Um espaço físico aberto e visualmente interessante, por exemplo, é um ingrediente fundamental. Deve haver sempre um incentivo à troca de experiências e experimentação de ideias.

O estímulo à colaboração interna e externa é mais um elemento que deve estar no radar das startups brasileiras. Todos os setores da empresa devem interagir, trocar figurinhas e expor suas visões diversas sobre determinado problema para assim chegar na melhor solução. 

A lição para as startups brasileiras


A lição que fica para as startups brasileiras é que o caminho do sucesso está na conciliação entre a transformação digital e a transformação de pessoas e, assim, unir objetivos do negócio, pessoas, propósito e tecnologia em uma só direção. A inovação só é uma realidade se houver uma mentalidade comum entre todos os setores da organização. 

Que tal começar hoje mesmo a pensar em novas estratégias para aprimorar o desempenho da sua equipe e superar os desafios da transformação de pessoas? Minha atuação hoje se relaciona com design de experiências de aprendizagem (palestras, workshops, eventos em geral), curadoria de conteúdos e recursos de aprendizagem e business development da Digital Attitude no Brasil. Vamos pensar juntos em soluções que levem em consideração a realidade do seu negócio? Agende agora uma conversa sem compromisso!

Deixe uma resposta